sábado, julho 28, 2007

Malabarismos




Se a vida é um malabarismo?
Decerto que sim.
Mas isso de filosofar sobre a puta da vida é tão entediante que não vou agora pôr-me aqui a dizer coisas e mais coisas que toda a gente sabe.
Prefiro contar como foram estes dias passados com o malabarista – uma divertida maneira de passar o tempo. Ele falava naquilo da integração corpo-mente e não me parece que tenhamos ficado muito aquém. Desde eventos para empresas a festinhas familiares fizemos de tudo. Serviu-se sempre das diversas partes do corpo, principalmente das mãos, mas também dos pés, dos braços e da cabeça. Querem coisa mais completa?

Do contacto próximo com a arte concluí que não se deve ter medo de tentar; e se não funcionar da primeira vez, não se desiste e tenta-sede novo e de novo. É este o conselho que posso dar-vos.


Como foi?

Foi bom porque meteu muita destreza, muita devoção e sobretudo muitas bolas. Todas manobradas com exímia perfeição e um cuidado extremo.
Se gostei?
Digamos que sim, mas confesso que já andava um pouco enfastiada. Vou agora à procura de formas mais anatómicas!


6 comentários:

mixtu disse...

yayayaya
malabarismos, quem os tem... chama-lhes seus...
e outros? yaya

abrazo amiga

Fatyly disse...

De facto e tens toda a razão. Boa procura num descanço gratificante.

Uma beijoca

Toze disse...

"não se deve ter medo de tentar; e se não funcionar da primeira vez, não se desiste e tenta-sede novo e de novo. É este o conselho que posso dar-vos."

Obrigado :)

peciscas disse...

Ó Fausta, uma das tuas melhores qualidades é a busca incessante da perfeição.
Serás budista?

mfc disse...

Das mãos e da "cabeça" ainda vá que não vá!!
Com os braços também aceito!
Agora explica lá como é que o malabarista trabalhava com os pés??!!

Mo disse...

malabaristas não me atraem :D põem-me os olhos às voltas nas orbitas

ali pró mfc: andas a desperdiçar partes do corpo ai andas andas