domingo, abril 30, 2006

Eles precisam é de levar no côco

Andei há dias a viajar pela blogosfera e fiquei estupefacta. Bem sei que só se fica estupefacto quando se é pouco dotado de cérebro, mas na verdade a minha especialidade é mais corpórea.
Mas dizia eu que me espantou o número de blogs que pretendem pôr os leitores a sonhar com sexo, provavelmente virtual e solitário, que ninguém anda a visitar blogs aos pares.
Pois é verdade, perdi-me neste deslumbramento bloguístico em cenas recheadas de gemidos e de provas fotográficas! Mas muito às claras e assim tão aberto de intenções que retira toda e qualquer hipótese uma pessoa normal se sentir tentada.
Fiquei a pensar que deve ser esta abertura que provoca em alguns jovens imberbes a atracção pelas minhas ligas pretas e a necessidade de procurarem contacto comigo na ânsia de virem a conhecer mulheres mais velhas. Procuram, certamente o contacto com a sabedoria que elas trazem coladinha às rugas.
E aqui vem a parte sociológica da minha reflexão.
Pensem lá comigo: estes adolescentes têm mães jovens, tias jovens, avós jovens... ou mesmo pais jovens, que as explicações freudianas funcionam para os dois lados como se comprova cada vez com mais propriedade.
Como é que eles podem usufruir, algum dia, da sabedoria de uma mulher madura se à sua volta toda a gente faz tudo para se manter jovem no aspecto e nas atitudes?!
Além de que estes meninos nunca ouviram um não, porque um não é sempre um trauma, como todos sabemos e apregoamos, esforçando-nos por nunca negarmos aos filhos aquilo que nos negaram a nós.
Aliás só os tribunais é que usam uma sabedoria fora de moda para nos chamarem a atenção acerca do efeito benéfico de umas boas palmadas, já que os pais deixaram de o fazer, as escolas deixaram de o poder fazer e o facto é que a necessidade parece existir. Logo, os pobres jovens precisam tanto de levar no côco que não perdem uma oportunidade de conhecer uma mulher mais velha que se assuma como a sua Dona e os obrigue a latir que nem cachorros aluados, enquanto lhes dão violentos puxões no couro da trela.
Foi por isso que o relato da minha experiência de BDSM, contada aqui com pormenores genéricos, chamou ao meu email privado uma quantidade de pobres zézinhos que andam por aí desesperadamente à procura de quem lhes dê uns tabefes para conseguirem sentir aquilo a que normalmente chamamos tesão.

23 comentários:

mfc disse...

Dá-lhes... que só se perdem as que caem no chão!!

jp disse...

ahahahahahaha
;-)

Nilson Barcelli disse...

Esclareço, em defesa dos jovens imberbes, grupo a que todos nós já pertencemos, e tendo eu já a minha dose de nãos de olhos nos olhos, por ausência da opção, ao tempo, dos canais virtuais como os de agora, que o inverso também é verdadeiro, isto é, também há meninas imberbes, e até pouco ou nada imberbes, que enchem a caixas do correio do pacato blogueiro.
As causas, eventualmente, serão idênticas.
Mas, em qualquer dos casos, não será a falta de porrada em casa ou na escola que estará na origem de tais aventuras. Será antes um certo “facilitismo” em geral a que a geração mais jovem está habituada, nomeadamente através de esquemas permissivos (para não chatear) a que famílias e escolas recorrem.
E eles sabem, por experiência própria e alheia, que essa permissividade se estendeu ao sexo oposto nas relações amorosas. E também sabem que, se na vida real 1 em cada 10 pessoas do sexo oposto reage bem a uma tentativa de sedução, na virtual serão 2 em cada 10. Com a vantagem de não ficarem corados com o tal não que muito bem falas.
Beijos.

Rosario Andrade disse...

Ola Fausta lindona!!!!!!
... ainda bem que ha muheres como tu para educarem os novatos. Eu sinceramente nao teria paciencia... mas alguem tem de o fazer!... vai aproveitando!
Bjico grande!

Fausta Paixão disse...

muito boa a tua reflexão, nilson... obrigada.

Fatyly disse...

Eles e elas, julgo que mais elas do que eles:):):) precisam e bem do que mfc diz!
Gostei Fausta e bem ao teu estilo, nada como pegar o touro pelos cornos.
nilson...tens toda a razão um comentário bem realista e actual!

marciasoulful disse...

Oi Fausta,
Interessante essa sua refexão. Não havia pensado sobre a influência das pessoas que não querem envelhecer sobre os jovens(interessante).
Bjusss

Hipatia disse...

LOL

Das palmadas, só se perdem mesmo aquelas que não acertam no sítio ;-)

Noir Infini disse...

As coisas andam assim tão más pela blogosfera?

Recebeste assim tantos mails? lololol

chuvamiuda disse...

.....o que eu não aprendo contigo, isso dos tabefes dá mesmo tesão? pronto, não é que a coisa falhe muito, mas prevenir e aprender é bom, é que os tabefes podes deixar marcas, mas certamente não têm efeitos secundários como os produtos químicos, as tuas ligas pretas nunca me entusiamaram, mas isso sou eu que sou a-normal, agora a vassoura dá ponta confesso.....

;)

Maria Manuel disse...

Fica a gente com a sensação de q devia parecer mais velha e controlar sempre a situação!!..

Rosarinho, a menina do caixa disse...

Do que eles precisam todos sem excepção é dumas chicotadas! Cambada!

ikivuku disse...

Há vários indícios de que o país atravessa uma grave crise de culpabilidade. Embora cada um empurre a responsabilidade pelo estado das coisas para o governo - e cada governo empurra para o governo anterior - a consciência, apesar de adormecida, pesa. Suponho que é essa a razão que leva cada vez mais pessoas, novos e velhos, populares e ministros, trabalhadores e patrões, a procurar situações de castigo, digamos assim, controlado. Parece que trinta e dois anos depois de ter destronado o pai autoritário, está agora à espera que seja a mãe, com um par de estalos, a livrá-lo de tamanha orfandade.

Fausta Paixão disse...

Rosarinho, traz o chicote!
Vamo-nos aos órfãos!

LUA DE LOBOS disse...

A autora Maria de São Pedro, a Papiro Editora e a Fnac têm o prazer de convidar V.Exas. a estarem presentes para o lançamento do livro GATO PEDRA no dia 19 de Maio, pelas 19.00h na Fnac - Cascais Shopping.

Fio de Beco disse...

E vivam os complexos de Édipo e Electra. E haverá o dia em que o fruto apetecido será, à laia da rainha do filme Crónica de El rei pasmado, uma dama coberta do queixo à ponta das unhas, em fuga perante a perseguição dos imberbes Apolos, que tentam desesperadamente conquistar a bela e alcançar o círculo estrategicamente colocado no centro das vagas de tecido. Fausta, troca as ligas pelo invólucro de linho e rendas. Aproximam-se novos tempos. a menina lembra-se de cada uma...hehhe

Mac Adriano disse...

Ora aí está um belo ensaio. Muito pertinente. Mas mesmo muito pertinente. O título, perfeito!

chaves disse...

Eh!eh!eh!eh!
Tadinhos... ficaram traumatizados,

sem cantigas disse...

com tanto silvo de chicote ainda algum me acerta...fui

kimikkal disse...

"please Domina, make me feel pain!" - não é o meu prato favorito, mas como diz o outro, hhá gostos para tudo...

ivamarle disse...

se estiveres para aí virada, filha: não lhas poupes!!!!!!!!!!

MySelf disse...

nem mais! Subscrevo!

floca disse...

Eheh. Ok, está giro.
E os comments não ficam atrás, é tudo a cascar nos meninos!