sexta-feira, janeiro 13, 2006

Vendedores de cuecas precisam-se ou hoje estou sem sentido de humor

Às vezes apetece-me furar-lhes os olhos, abanar-lhes os ombros metidos naqueles casacos que nunca vestiram antes e que brilham de presunção pouco aprumada, jogar-lhes à cara os discursos que a sua memória curta enfiou em pelo menos três sessões de palavra-atrás-de-palavra e mandá-los ir para a escola aprender a conjugar os verbos na segunda pessoa do singular do pretérito perfeito.
Quando me aparecem à porta posso gerir a situação à minha maneira ou simplesmente não abrir e eles desistem.
Contudo, no local de trabalho não se supõe que apareçam, por isso não convém fazer cenas; e lá vem o politicamente correcto “não, obrigada, não quero”.
Desta vez interiorizei bem a correcção ou os bons princípios e quando me perguntou pela segunda vez se queria comprar a caneta com auriculares que me dava música enquanto escrevia – estava eu no intervalo dos afazeres e procurava tomar um café e ponderar a paciência para aguentar a hora seguinte, que não é fácil estar à beira de sete ataques de nervos e saber que o que esperam de nós é um sorriso aberto e muita calma –, puxei dos meus nervos de aço e perguntei sorridente: “e cuecas de fio dental, tem?”
O rapaz olhou para o fato do outro, porque o rubor da face não lhe permitia levantar os olhos, e os dois olharam para mim incrédulos, devolvendo ao saco as embalagens tipo made in Taiwan mas a puxar para o fino. E assim consegui virar-lhes as costas e rir-me de mim, que outra coisa não me satisfaria mais naquele momento.
Livrei-me pois de ouvir ainda as vantagens de comprar um aparelho para medir a tensão arterial, experiência feita ali mesmo para ver o estado da dita, uma almofada vibradora para massajar a cervical ou a mala-de-chaves-de-parafusos-tipo-oferta-da-semana-do-Lidl, que eles exibiam em cima da mesa onde os meus papéis gemiam de afronta.

23 comentários:

pirata vermelho disse...

desculpa a ingenuidade ou incipiência

há disto ou é ficção?

(fico-te enternamente grato!)

Lúcia disse...

Faustinha, tu num te enerves.
Bem vistas as coisas, eram 2 e escovadinhos ou não, eram homens e davam-te música. E o aparelho para a tensão até dava jeito para ir controlando a dita, nos entretantos.
E uma almofadinha tem sempre a sua utilidade.
Quem sabe se não teriam até umas cuecas fio dental, dentro da mala sete-em-um, escondidas no meio da ferramenta.

peciscas disse...

Acho que lhes deste a melhor resposta.
Mas, já agora, uma pergunta: no teu local de trabalho deixam entrar vendedores desses?
É que no meu, nem pó!

pirata vermelho disse...

lima! a ironia e a graça são pertença da 'dona da casa'!
seja comedida, mnina...

Lúcia disse...

olha, um defensor! LOLOLOL

Fausta Paixão disse...

Nada disto é ficção.
E Lima, bem que podia ter usado da minha faustosa sedução e tê-los trazido em post para esta praça internáutica para me dar a mim própria o prazer de dizer mal dos homens.
Porém... faltou-me aquele bocadinho que nos faz saltar algumas vezes (pena que não seja sempre) para a suprema arte da vida que é a ironia.

Mas isto passa. Vou reparar a rede e... hei-de vir cá contar-vos os PORmenores.

polittikus disse...

Fico-me pelas cuecas... hihihihih

jp disse...

As made in qualquer coisa,têm o seu que de utilidade.
Mais não seja como prenda de troca no serviço. Há quem goste muito ;-)
E Fausta, arranjou um advogado foi?

Que tal andas oh jeitosa?

kimikkal disse...

"E cuecas de fio dental com sabor a morango, tem? Queria sem açucar, se faz favor..."

Su disse...

gostei da pergunta....é assim mesmo
jocas maradas

Hipatia disse...

Mulher, precisavas ver só o tipo de trombil que apresento a esses caramelos. Na grande maioria dos casos, levam logo o raspanete do costume: aqui dentro não! Montem a quitanda onde melhor vos aprouver, até pelo... (bem, esta parte já não digo, que sou uma moça simpática :)))

MRF disse...

és uma simpatia. nos dia não, costuma bastar-me olhar para os invasores. é que até derreto o fio dental das cuequinhas que estejam à volta. :))

já agora, não achas piada às comestíveis? há invenções que, se o Andy Warhol andasse por cá, já tinham virado ícones de... qualquer coisa a que chamam civilização ocidental (made in Oriente a maior parte das vezes)

antimater disse...

gostei mais foi do «a puxar para o fino»...
:o)

pirata vermelho disse...

ando a dar música...

para ti

- Liszt (também...)

http://prs.net/play/Y7aZaQn5KrKr5L9h7yHKzw.html

-Etudes d'exécution transcendante d'après Paganini
-TIGRAN ALIKHANOV

pirata vermelho disse...

salientando que do paganini dizia-se que tinha um pacto com o diabo.
eu, acho-o apenas meio desaparafusado; entre o atleta e o artista de circo

pirata vermelho disse...

gostaste?

Fausta Paixão disse...

Sim, gostei muito.
Trouxe List para a montada da minha vassourinha mágica e cavalgamos os céus até àquela nuvem mais fria.
Lembrei-me do Ângelo... e "amansei" as emoções.

Toze disse...

Pois claro minha Faustosa, o que tu querias era algo vibratório para massajar tudo...menos a cervical !











LOL

Chulé disse...

Menina! Tu usas fio dental? Nham nham...

maria_arvore disse...

Boa! Paciente e ironicamente respondido. :)
Só teria trocado o fio dental por cuecas mastigáveis. ;)Quer dizer, se estivesse muito, mas muito bem disposta que o usual é olhá-los fixamente e rebolar um rotundo não.

Fausta Paixão disse...

Chulé... uso fio dental, sim, e gosto. Das mastigáveis ainda não experimentei, mas já ando de olho nelas... mas como não sou eu que vou provar, terei de me informar sobre gostos alheios. Dos teus gostos nada sei mas nos cheiros não confio...

patologista disse...

E a almofada? Tens a certeza que era para a cervical?
Podia-se arranjar-lhe outro uso mais interessante...

Chulé disse...

E quando comprares as mastigáveis deizas-me dar uma trinca? Nham Nhammmm.....