domingo, janeiro 06, 2008

cuecas azuis dão sorte?


Apareceu-me assim na noite da passagem de ano e disse que a coisa só funcionava se eu me apresentasse da cuequinha azul. Dizia que era para dar sorte.
Ora eu que não sou nada dessas superstições – já me conhecem o lado pragmático, não conhecem? – e que detesto consumismos de coisas inúteis, exibi-lhe a gaveta a abarrotar de lingerie variada e fiquei à espera dos olhitos mansos de macho a deixar-se vencer pela sedução dos cetins.
Que cena triste!
Ainda telefonei a duas amigas a ver qual delas me emprestava o acessório - aquela hora onde é que havia comércio aberto? - mas cada uma delas estava a usar o dito, ou antes, as ditas, e tive de reconhecer que aquele dia era de facto o dia da pouca sorte, pois o fulano, visivelmente incomodado, não se portou nem bem nem mal e no fim desapareceu tão depressa quanto tinha chegado, que nem a garrafita do espumante tínhamos ainda acabado.
Fica uma mulher de castigo a engolir as passas para ver se se passa alguma coisa de extraordinário e verga-se a mais uma frustração por causa de umas cuecas.
Isto compreende-se?

10 comentários:

Ela disse...

Algumas supertições... poddem até ser levadas a sério.
rs.
Gostei do teu espaço

Fatyly disse...

Não se compreende não senhora porque não merecias:))))
Só há pouco tempo é que soube dessa "tradição" mas dão sorte mesmo? pela foto LOLLLLLLLLLL só tu me fazias rir desta maneira.

Um beijo

-pirata-vermelho- disse...

Esta história está mal contada, d fausta.

Diga-me
a senhora meteu em casa e sabe-se lá mais adonde um mnino que nem conhecia e de quem não conhecia as mãozinhas?!
(não macredito...)
E
a senhora tirou aquele retratito pra quê?


A d fausta põe-se com gabarolices mas esquece-se de esconder as verdadeiras razões; a saber
1 não tinha cuequitas de jeito para impressionar mirone
2 impressinou-se com um rapazote pra quem as cuequitas são mais que roupa
3 a própria d fausta não chama aquilo cuecas; chama-lhe lanjerie...
(porquê!?)


Esta história, d fausta ou foi inventada à pressa e a senhora veio pr'aqui dar-se ares ou! é o relato de um amontoado d'inssepiêmssias em que nem uma rapariguita do 5º ano embarcava.

Eu avisdo, d fausta
e quem avisa seu amigo é,
a senhora já andou pr'aqui em valentes cavalgadas (eu sei... eu sei, tinham umas fraquezazitas... mas a gente até aceitava...) e em aventuras de alta tecnulugia & id; já s'aventurou nas bordas do lumpen mais faustoso (quase se podia sentir a escorrE^ncia...)
e agora apresenta-nos esta conversinha?

É um insulto à nossa entligância!

É uma displissêmssia...

Não s'pod'aceitar!

-pirata-vermelho- disse...

(Desculp!

Q'ria dizer 'nas faldas')

-pirata-vermelho- disse...

( e também quis dizer 'entligência')

joaninha disse...

Olá se se compreende... Ainda bem que apreciaste, por ti, a frustração que se sente ante o fracasso de umas cuecas azuis... foi por isso que este ano, seguindo o conselho de uma amiga, estreei umas encarnadas… são um mimo, mas podes crer que essas superstições são uma loucura… nunca fui de obscurantismos, nunca acreditei nessas superstições, mas por paródia, este ano, fui na conversa daquela minha amiga, pessoa entendida (?) neles… mas que também falha…
Mas gostei do escrito!
E uma beijoca da amiga joaninha

Lúcia disse...

na verdade é ridículo. descartar a diversão por um adereço que é para se despir.
dá para compreender estas?
claro que não.

Mo disse...

livra!

Mo disse...

tá visto q dão azar :D

Natur Line Sex disse...

Gosto muito disto maravilhoso.
muito boas, mo’ gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito