sexta-feira, janeiro 12, 2007

Põem-me as mãos em cima ... e eu...




Foi ele que pediu.

Era para usar um conjunto de palavras e escrever um texo.
Também era para divulgar a ideia. para quem quiser colaborar.


Não sei porquê, mas as palavritas sugeridas mandaram-me logo a memória para o Mateus.


Para não o embaraçar olhei assim de relance no espelho, a fotografar-lhe as formas, enquanto hidratava a minha pele com óleos afrodisíacos. Queria que aquela noite fosse assim como… beber um café a transbordar de natas, ao fim da tarde, numa esplanada com vista para as águas da mais romântica lagoa. Uma tarde que antecipava seguramente uma noite de sexo violento, daquele que faz qualquer um perder os sentidos. Seria audácia minha, talvez não me saísse bem diante daquela figura escultural, mas o negrume que saía do vermelho da manga dava cá uma pedra à imaginação!
Só numa tela! Não era possível que a realidade me destinasse tão venturosa delícia! Uma mulher até fica atordoada com o eco que sai de uma voz assim! Eu treparia todos os degraus para lhe chegar ao cimo, porque o cimo adivinhava-se lá no topo, e eu… obcecada pelos mitos, tinha de tirar a limpo, antes da morte, a verdade da coisa.
Atrapalhada nos gestos, senti-me sem norte no momento em que ele me pôs as mãos em cima! Mas não me dei por vencida. Havia de o fazer em retalhos…






15 comentários:

marta disse...

Também sempre ouvi falar do mito. Nunca tive oportunidade de tirar a limpo...então?
Valeu a pena?

Fábula disse...

com que então obcecada pelos mitos?! hum? ;) eh eh!
(a ideia é gira, também vou participar)

Ness Xpress disse...

O meu mito é mais o contraste de cores ;)

(Mas desconfio que juntarás o útil ao agradável!)

Fatyly disse...

Grande Fausta, parabéns!

ivamarle disse...

adorei esta tua contribuição para o desafio dele ;-)

Pseudo disse...

Tu és Mestre no uso das palavras! Magbnífico.

Pong disse...

Bonito sim senhora.

maria_arvore disse...

Espero que tenhas retalhado bem o mito que há pequenas mortes que não se podem perder. ;)

Ines disse...

Pergunto-me sempre quais os mitos que devo testar e quais aqueles que perfiro manter... Mas um como este... TESTAR!!!!!

(também vou responder ao desafio!)

Pong disse...

"paralhe chegar ao cimo..." muito bem.

psique disse...

Como sempre as palavras fluem...

Lúcia disse...

agora dedicas-te ao kraftwork? retalhar assim o homem, só se for para fazer uma manta.

e vais pintar a manta?

Didas disse...

Bem... tenho que trabalhar o meu mais uma bequinha...

Fausta Paixão disse...

mitos são mitos... nao se podem desvendar, sob pena de perderem a graça. Cada uma terá de ir em busca do seu graal (também pode ter outros nomes claro!)

ness, uma mulher é um poço de curiosidade. isso não se faz...

eu é que sou grande fatytly? Ou tu é que andas a ver o lado grande das coisas? (eheheh)

eu não queria retalhar nada, mas a palavra que faltava era essa, por isso metaforizei a coisa, percebem, mas aquilo era tudo ameaço.

pong... no cimo é que está a virtude!! e é lá que se pinta a manta, também, lúcia.

e tu, Didas, mete mãos à obra!

mfc disse...

Aproveita-o... não o retalhes!