domingo, janeiro 07, 2007

Camelo!!!



Era para ser sua co-pilota, disse ele num telefonema urgente.
Foi há umas três semanas, não havia tempo a perder. Só vos digo que nunca me tinha aplicado tanto nos treinos. Apliquei-me tanto, tanto... que ainda hoje os meus ouvidos se ressentem da violência, que o ronco do motor de um camião é coisa de abalroar, garanto-vos.
Treino permanente para reforçar a condição física e psicológica... tudo p’ra cima!, que uma pessoa quando se embrenha na co-pilotagem não pode fazê-lo por menos. Aquilo desgasta... mas desgasta!!!
7915 quilómetros em todo-o-terreno prometiam as quotas máximas. Dezasseis dias de bem- bom, pensava eu a atacar, à força toda, nos primeiros quilómetros... e sem capotar!
E não seria só trabalho... a segurança (só bombeiros eram 170...), o convívio (com 508 veículos, vá lá... pelo menos metade com co-pilotagem, porque os motards andam bem por conta própria... acrescentando o suporte mecânico, o mediático e os mirones... aquilo daria aí para cima de mil e tal cromos, à noite, no Hotel). Mais a paisagem, as dunas, os pós, os camelos...
Bem... podem compreender o tamanho da minha frustração, aqui em casa, hoje, a lavrar mais um queixume.
Mas eu conto tudo:
Depois de bem treinados eu e o Diogo Cunha Rego tínhamos todas as condições para efectuar uma boa prova, desde a potência da máquina à vontade férrea e incontrolável de levar tudo à frente. Ele apostava num bom tempo para as classificativas e eu, colaborante, achei que uma hora, vinte minutos e trinta e oito segundos, para começar, não era nada mau! Dei, pois, tudo o que me era possível, não obstante os atascansos sucessivos. E que pica que eles davam! Depois de racionalizado o espaço a bordo para nos sentirmos à vontade, trocámos de centralina e ensaiamos a tracção traseira; mas a tracção às quatro, essa sim, firme e segura, era a nossa aposta. Bom andamento vivo, um espanto de caixa de velocidades, pronta para atacar as dunas de frente, a um ângulo de 90 graus; ou mesmo usando as redutoras (na quarta ou na quinta, pelo menos), para fazer render a prova.
Ele era cheio de cuidados: ajeitou o compressor para encher os pneus nos intervalos, montou um sistema de navegação que incluía um desenrolador eléctrico road-book, um conta quilómetros com comando lateral e GPS orientado e extensível, fez exercício de perícia em terra batida, sem esquecer as zonas dos buracos e... bem... a perspectiva de curtição era o máximo...


Mas não. O Diogo Cunha Rego (o Dico, como todos lhe chamavam), ali mesmo em cima da hora, trocou-me por um co-piloto com dois metros de altura, cavas longas e uma mota XXL tatuada no bíceps.

Uma mulher aguenta isto?


18 comentários:

ivette marise disse...

que remédio tens tu, Fausta...mas olha que também se iria revelar demasiado cansativo, parece-me.Sabes que nem sempre se atingem os binários ideais e é preciso treinar muito bem as passagens de caixa(mecânica é comigo ;-) ) com um escape de alto rendimento e uma mistura especial de combustível, até pode ser que sim...

Fausta Paixão disse...

escape de alto rendimento, Ivette???
Manda instruções, por favor! Nunca se sabe quando é que isso não vai mesmo fazer falta!


Ah "melher", o que tu farias se te aplicasses na mecânica!!!

mixtu disse...

yayayayaya

camelo... hilariante...

beijinhos

Ness Xpress disse...

Ui, até fico assustado... Lá que fosses musicóloga, OK, cada um é p'ró que nasce; mas musicóloga e especialista em automóveis já é para assustar! Bem sei que ouvir um V8 a roncar é uma melodia divinal (pois, nem falo em V12's, que isso já é muita fruta!). O todo-o-terreno, esse sim, é mesmo uma grande paixão, quer seja com caixa redutora ou de bicicleta.

(Dunas a 90º é que não estou bem a ver, na volta tenho o transferidor avariado :D )

Ahhhhh, mas que gostava, ai se gostava, nem que fosse num dos velhinhos UMM's!

Fatyly disse...

Deixa lá mulheriiiiii ...ainda chegavas toda gripada, esfarrapada, empoeirada e surda!gargalhadas:):):):)

asdrubal tudo bem disse...

ai se tu ouvisses o barulho do meu motor a roncar na hora h. :-)

Lúcia disse...

este post é muito técnico. fica para a mana trocar tudo por miúdos.
mas naquelas paragens deve dar uma secura....
e os desempenhos nem sempre são por aí além.
fica por aqui, há-de aparecer alguém

marta disse...

Tens de ter calma.
Ele vai agora fazer a prospecção das mais românticas passagens e dos melhores hoteis e depois já te vem buscar.
No deserto só com calma.

bagaco amarelo disse...

dois metros de altura?! não te preocupes. O DICO vai-se arrepender quando perceber que, dentro dum veículo, dois metros não dão jeito nenhum...

antídoto disse...

Camelo!!!

MRF disse...

Fico sem palavras! É muita dor e humilhação! Mas olha, aquela mania que os camelos têm de se ajoelharem antes de se deitarem, ainda vai aborrecer o Dico..., a não ser que ele seja muito católico!

Didas disse...

Não é co-pilota, é cu-pilota.

Alcebíades José disse...

Pois...
Tendo em conta o post anterior, até sou capaz de entender a opção do piloto.
Enfim, sabe-se lá como acabaria ele o rally????

a sua vizinha disse...

Caramba, tanta coisa só para uma hora, vinte e oito minutos e trinta e oito segundos! Não há nada com começar devagar, sem mirones, sem roncos no motor, calmamente para não derrapar. Depois, mais à frente, quando o motor já está quente, acelera-se e nem dá para ver as dunas, a paisagem e os camelos! Ó vizinha Fausta, deixe-se de frustações! O gajo virou-se para um co-piloto tão avantajado e não vai dar conta do recado! Deixe lá, pode ser que noutra altura ainda voltem a escolhê-la para co-pilota e aí já tem prática e conhecimentos de pilótagem! Os homens são assim, caraças!

Fausta Paixão disse...

ness nunca substimes as potencialidades de uma mulher!

fatyly, dou-te razão, só de me lembrar do efeito da poeira nos dentes até me dá arrepios!

asdrúbal, há roncos e roncos. Para os piores há soluções cirúrgicas!

Fausta Paixão disse...

lúcia e marta... de facto, os desertos são uma secura; só lhes desejo ( a eles),bons encontros por lá, porque camelos não faltam.

ai bagaço, mal empregado um gajo com 2 metros de altura todo amarfanhado dentro de um camião... mas pronto, são opções...

Fausta Paixão disse...

... só a imagem de um camelo-cu-piloto a ajoelhar fez-me passar a neura. é, de facto, um antídoto mestre!

alcebíades, o maxismo mata, sabias?!

Ó minha vizinha, nã me diga que consegue classificativas ainda melhores! Quem é o seu co-piloto, diga-me já!

ivamarle disse...

se calhar era o mesmo que o Carlos Sousa deixou plantado hoje no deserto...