terça-feira, novembro 08, 2005

Céus Suspensos

George Portz



Estavas nos meus braços
Com a ternura de quem escreve o amor pelas colinas
E eu ceguei no chão
Para sentir o desdobrar do teu desejo
Falando-me em silêncio;
Cruzaste as mãos nos meus cabelos
Quando te afaguei a pele e te mostrei paisagens
Suspensas de um céu subitamente pousado nos meus olhos;
Depois colei-me a ti.
Disseste que as marés se revoltaram na carne das minhas pálpebras
Só me lembro de ter pedido que ficasses para sempre
Nas palavras do meu gesto.
Não quero que este poema tenha fim.
F.P.

5 comentários:

nokinhas disse...

Que grande inspiração, amiga! Olha, quando puderes vem ao meu cantinho ver a que eu hoje enviei "Lianor". Os teus estão magníficos!

Os posts que estão na SUA VIZINHA já viste? Pensava que já tinha perdido o jeito para escrever, no final...

Beijinhos!

Inha disse...

Vim retribuir a visita.; Voltarei com mais tempo para ler estes teus belos poemas. Entretanto vou fazer o link, ok?;)
Beijo grande:):):)

cm disse...

fim??!!! nao é o recomeço de outra coisa....

mfc disse...

Todos temos a veleidade de querer eternizar certos momentos...mas o tempo é cruel. Não pára!

Anônimo disse...

Enjoyed a lot! Scrabble word list a-z reel to reel teac model a-1500 nude wallpaper babes prozac and chronic fatigue brand lamictal Huge boob milf fucking Teen+jameson+free+hardcore acrylic paints for plastic models safety 2007 infiniti g35 coupe Flaker ice machine Meridia centre asbestos hazards legal Xenical user forum